Histórico

Desde janeiro de 2004, o ICAC – Instituto Curitiba de Arte e Cultura é o responsável pela gestão da área musical da Fundação Cultural de Curitiba – FCC, atualmente é presidido por Marino Galvão Junior. O Instituto administra a Camerata Antiqua de Curitiba e os seus desdobramentos em Coro e Orquestra, o Conservatório de Música Popular Brasileira de Curitiba, a Orquestra À Base de Sopro, a Orquestra À Base de Corda, o Vocal Brasileirão e o Coral Brasileirinho, além de todas as atividades realizadas por esses grupos.

Tanto as séries quanto os grupos são referências em música de qualidade. Com a administração do ICAC e a parceria da FCC, a agenda cultural da cidade passou a ter mais opções de programação. O público pode aproveitar as apresentações e os músicos têm novas perspectivas de trabalho.

ICAC – Instituto Curitiba de Arte e Cultura

O Instituto Curitiba de Arte e Cultura é uma organização social sem fins lucrativos que executa as políticas públicas traçadas pela Prefeitura Municipal e implementadas pela Fundação Cultural de Curitiba. O caráter social do ICAC é talvez sua face mais evidente, mas não é a única. Aproximar público e produtores culturais, promover espetáculos e a própria renovação do ambiente artístico local são resultados da aplicação intensiva de capital tecnológico, humano e financeiro a partir de princípios e práticas de mercado, com metas de performance tão desafiadoras quanto sustentabilidade. Uma das interfaces nas quais opera o ICAC é a da mediação entre a liberdade das manifestações artísticas e o rigor inerente à gestão responsável. É atendendo a estes dois grupos de demandas que o Instituto viabiliza espaços, recursos financeiros, agendas e contratos envolvendo algumas das mais importantes instituições da cultura local e nacional, como a Camerata Antiqua de Curitiba, o Conservatório de Música Popular Brasileira, a Oficina de Música de Curitiba e dezenas de outros grupos e projetos nas áreas da música e literatura.

A relação entre o poder público e a iniciativa privada é outro espaço onde o ICAC se movimenta com desenvoltura, mas com atenção redobrada à transparência. Esta é observada em todas as instâncias, desde os registros financeiros diários até os relatórios de atividades bimestrais, semestrais e anuais submetidos ao Tribunal de Contas e, por iniciativa do Instituto, à auditoria externa independente. Internamente, as atividades executivas são supervisionadas pelo Conselho Administrativo, responsável também pelo estabelecimento de indicadores e metas. Além da apreciação contábil e jurídica da movimentação financeira, os resultados das ações implementadas são disponibilizados por sistema informatizado para consulta em tempo real pela Fundação Cultural de Curitiba.

Parceiros e patrocinadores também têm acesso aos dados por intermédio de relatórios fornecidos sob demanda. Os processos administrativos que impulsionam os projetos e as operações do ICAC são baseados em procedimentos de compras e serviços em permanente atualização, garantindo agilidade nas contratações e prestações de contas e permitindo também a incorporação de inovações. Este cuidado é particularmente importante quando se considera que o ICAC é responsável pela gestão de 22 espaços culturais com diversas finalidades, o que inclui tanto a alocação de recursos financeiros e materiais quanto de pessoal administrativo e artístico.

A responsabilidade socioambiental é outro exemplo da sintonia do Instituto com os novos conceitos de gestão. Ela se materializa num processo sistemático que envolve toda a comunidade por meio de palestras e workshops sobre redução da geração de resíduos, uso racional de energia e aproveitamento de águas pluviais, entre outros. Exemplo mais relevante desta preocupação é a Oficina de Música, que conta com um extenso programa de separação e destinação de resíduos em parceria com organizações de catadores de recicláveis e, em conjunto com a Secretaria do Meio Ambiente, também no regime de parceria, neutralização do carbono gerado pelo evento por meio de reflorestamento.

As boas práticas de gestão do ICAC constituem-se em diferencial competitivo fundamental para a atração de parceiros e formação de alianças. Os vínculos estabelecidos incluem desde órgãos dos diversos níveis da administração pública e serviços sociais autônomos até representações oficiais de governos estrangeiros e multinacionais privadas, além de grupos e artistas de renome no Brasil e no mundo. O ICAC reúne um conjunto raro de capacidades. Ao mesmo tempo em que dialoga com desenvoltura com o meio artístico, compreende e contribui decisivamente para a realização de objetivos institucionais estratégicos de empresas e governos.


PATROCINADORES