Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba

A Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba, criada em 1989 e conhecida também como Orquestra da Camerata, possui em seu currículo a execução de obras para cordas de todos os tempos, com ênfase para a música barroca e brasileira. Sob a direção de importantes regentes convidados, tem acompanhado renomados solistas brasileiros e estrangeiros. Aberta a experiências que vão além da música erudita, a Orquestra vem realizando importantes apresentações no Brasil e no exterior. Recém-criada, em 1990 seus instrumentistas se apresentaram no Festival de Campos do Jordão. Na plateia, um maestro mexicano que fez convite ao grupo para participar de um festival de música em Sinaloa, no México. Experiência ímpar, relatada pelo então maestro Lutero Rodrigues, a Orquestra de Câmara teria sido o único conjunto estrangeiro a participar do evento.

Ao retornar ao Brasil, o grupo passou a desenvolver projetos alternativos, como a excursão que fez pelo país na companhia do quinteto paulista de jazz, Nouvelle Cuisine. No Festival de Campos do Jordão, de 1992, a execução da peça Choro e Fagote, de Camargo Guarnieri, recém-falecido, destacou o conjunto orquestral nacionalmente, e atraiu novos convites para apresentações. Assim, foram selecionados para integrar o Projeto Brasil Musical, em 1994, quando realizaram turnês com ícones da música instrumental brasileira, como Egberto Gismonti, Wagner Tiso e Zimbo Trio. A presença em eventos internacionais é outra marca da Orquestra de Câmara: em 1997, se apresentou no Festival Brasiliana II, em Copenhague; em setembro de 1999, na abertura da V Centenário da República do Brasil, na Itália, executou concertos no Instituto Ítalo-latino-americano, Palácio de Santa Croce e na Igreja dos Portugueses, em Roma. Na cerimônia de entrega do Prêmio Especial ao Presidente da República do Brasil, pelos 500 anos de descobrimento do país, apresentaram concerto na rede de televisão estatal italiana – RAI, no Teatro Verdi de Florença. Nessa viagem, foram apresentadas músicas de autores brasileiros e realizada a primeira audição, na Europa, dos compositores paranaenses Brasílio Itiberê e Bento Mossurunga. O programa foi transmitido via satélite para todo o mundo, motivando a gravação de um CD. Para aprimorar ainda mais o conhecimento técnico e artístico, atualmente, a Orquestra de Câmara realiza seu trabalho sem a presença de um maestro titular. Regentes convidados, dos mais relevantes centros culturais do país e do exterior, têm alçado o grupo à posição de uma das principais orquestras brasileiras de câmara.

Aparecida Vaz da Silva Bahls
Historiadora e Pesquisadora da Casa da Memória/ Diretoria do Patrimônio Cultural

Maestro Emérito: Roberto de Regina

Estudou música antiga com membros da Pró-Música de New York, regência coral com Robert Shaw e construção de cravo com Frank Hubbard. Fundou os grupos de música antiga: o Coral Bach do Teatro do Estudante, Coral Bach de O Tablado, Coro de Câmara Dante Martinez, Conjunto Roberto de Regina e a Camerata Antiqua de Curitiba (coro e orquestra).

Roberto de Regina é o responsável pela construção do primeiro cravo brasileiro e pela gravação dos dois primeiros discos de cravo e música antiga no país. Embora seja amplamente reconhecido como um dos maiores cravistas do Brasil, com 26 álbuns e 5 DVDs gravados, Roberto de Regina possui também outras facetas menos divulgadas: é médico anestesista, profissão que exerceu durante anos, paralelamentem à música e também um exímio artesão. Sua coleção de miniaturas, reunidas desde a infância, estão expostas em um museu aberto ao público, para visitas agendadas. Chamado de Museu Ronaldo J. Ribeiro, situa-se em sua própria residência, um sítio em Guaratiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Boa parte das miniaturas é confeccionada pelo próprio músico. Destaques da coleção: uma maquete de uma cidade européia fictícia, com teatros, cinemas, igrejas e bondes; automóveis antigos e aviões (inclusive o 14 Bis, de Santos Dumont e a Kitty Hawk, dos Irmãos Wright); embarcações como a Barca do Sol (usada no funeral do faraó Quéops, em 4500 A.C.) e a esquadra de Pedro Álvares Cabral; catedrais e castelos, como o Krak des Chevaliers, localizado na Síria.

Coordenação: Francisco de Freitas Jr.

Nasceu em Fortaleza, onde iniciou seus estudos musicais sob orientação do Prof. Vasquen Fermaniann. Em Fortaleza, atuou como spalla da Camerata Universidade Federal do Ceará entre 1981 e 1985. Participou dos principais festivais de música do Brasil, em Teresópolis, Gramado e Campos do Jordão. Aos 17 anos, transferiu-se para Curitiba, onde ingressou, através de concurso público, na Orquestra Sinfônica do Paraná, permanecendo nesta até 1991.

Graduou-se em violino pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Teve aulas com Paulo Sampaio Florêncio, Moysés de Castro, Marco Damm e Roberto Hübner. Após a temporada de 1988 como músico convidado, é selecionado para o quadro oficial de músicos da Camerata Antiqua de Curitiba. Integrou o Quarteto Iguaçu e o Quarteto Araucária. Foi professor de violino da EMBAP. Paralelamente à carreira de músico, trabalha na área de produção e administração de espetáculos musicais e concertos.

Representante: Martinho Lutero Klemann

Natural de Joinville, é formado em regência pela UNICAMP e em contrabaixo pela EMBAP. É também violonista. Atuou como cantor solista em óperas como “La Serva Padrona” (Pergolesi), “A Moreninha” (Mahle) e “O Fantasma de Canterville” (Zenamon). Foi regente de diversos corais, entre outros o Coral da Sociedade Lírica, Coral da UNIVILLE e Coral Campinas. Foi contrabaixista da Orquestra de Câmara de Blumenau e regente da Orquestra da Lírica. Atuou como maestro convidado da Orquestra de Câmara de Blumenau e da Orquestra Cidade de Joinville. Foi diretor da Escola de Música “Villa-Lobos” e da Opus – Escola de Música. De 2013 a 2014, coordenou o projeto “Domingo no Campus”. Atualmente, é regente do Coral da Universidade Positivo e integrante do 5UP. É membro da Camerata Antiqua de Curitiba desde 2004 e atual coordenador da orquestra.

INTEGRANTES

Violinos I

Violinos II

Violas

Violoncelos

Contrabaixo


PATROCINADORES