Orquestra à Base de Sopro

A Orquestra à Base de Sopro (OABS) é um grupo especializado em música popular brasileira. Com aproximadamente 17 anos de existência, tem em seu currículo seis lançamentos fonográficos e mais de 20 artistas convidados, dentre eles: Nelson Ayres, Joyce Moreno, Vocal Brasileirão, Toninho Ferragutti, Vittor Santos, Itiberê Zwarg, Nailor Proveta, Roberto Sion, Mauro Senise, Laércio de Freitas, Emílio Santiago, entre outros, além de um repertório de Gafieira com a cantora Roseane Santos.

Seu primeiro registro em CD é composto com obras do Maestro Waltel Branco, o qual chegou a ser finalista do Premio TIM em 2008. Em seguida lançou um DVD com Arrigo Barnabé gravado ao vivo, com uma obra encomendada pela orquestra – A Metamorfose, e uma nova roupagem para as músicas do disco histórico – Clara Crocodilo. Em 2012 fez dois lançamentos: um DVD/CD no Teatro do Ibirapuera com André Mehmari e outro no Teatro Paiol com obras de músicos que fazem parte da história da orquestra, intitulado “Nossos Compositores”.

O seu quinto lançamento é um CD gravado em Curitiba com o convidado italiano – o clarinetista Gabriele Mirabassi. Este CD foi gravado ao vivo no Teatro do MON – Museu Oscar Niemeyer em dezembro de 2009, e produzido pelo grande selo italiano: EGEA, mais conhecido pelos seus trabalhos em música erudita.

Em 2014 chega ao sexto trabalho fonográfico lançando o CD gravado ao vivo com a flautista e compositora Léa Freire, conhecida por suas melodias improvisadas e uma percepção aguçada.

Também em 2014 a Orquestra se apresentou ao lado de um dos maiores nomes da música brasileira da atualidade: Egberto Gismonti, com o qual realizaram shows em Brasília, Curitiba e Florianópolis, além de estarem organizando novas participações em outros festivais pelo Brasil e exterior.

Em 2015 realizou um concerto histórico ao lado do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba sob a regência de Mara Campos, comprovando a versatilidade da OABS em realizar repertórios das mais variadas tendências e estreando obras de André Mehmari e do pianista da orquestra Davi Sartori com poemas de Etel Frota.

Neste panorama diversificado de repertórios, a OABS é considerada hoje um dos principais grupos de música brasileira do país, e vem se aprimorando na pesquisa de novas sonoridades para a nossa música popular brasileira.

Direção artística: Sérgio Albach

Sérgio Albach tem se demonstrado um versátil e requisitado instrumentista para a gravação de Cds, participação em concertos, espetáculos musicais e teatrais, arranjos e composições. É graduado na Escola de Música e Belas Artes em Licenciatura em Música.

Foi curador da Oficina de Música Popular Brasileira de Curitiba durante 14 anos (2002 -2015), onde realizou um trabalho de troca de experiências entre estudantes e profissionais da música brasileira. Também fez a curadoria da programação da Caixa Cultural Nacional por quatro anos.

Dirigiu importantes produções musicais como “Uma Rosa Para Elizeth” e “Noël”, com lançamento de CD em 2009. Também compôs trilhas sonoras para peças teatrais e espetáculos de dança e vídeo.

Como diretor artístico da Orquestra à Base de Sopro de Curitiba produziu o CD “Mestre Waltel”, um DVD gravado ao vivo com Arrigo Barnabé, UM CD e DVD com composições de músicos da orquestra, um CD pelo selo italiano “EGEA” com o clarinetista Gabriele Mirabassi e um CD com a flautista e compositora Léa Freire; além de excelentes espetáculos que levaram ao público a pesquisa e a valorização da música brasileira, com a presença de vários convidados, como: Nelson Ayres, André Mehmari, Proveta, Laércio de Freitas, Toninho Ferragutti, Vittor Santos, Itiberê Zwarg, Joyce Moreno, Emílio Santiago, Egberto Gismonti entre outros.

Como pesquisador do choro, criou os projetos “Choro no Sebo”, “No TUC tem Choro” e em 2001 a “Roda de Choro do Conservatório de MPB” que existe até hoje.

Como clarinetista, lançou seu primeiro CD solo em 2010, o “Clarineteando”, e já soma mais de 50 participações em Cds. Faz parte do “Mano a Mano Trio” ao lado de Glauco Sölter e Vina Lacerda, grupo que já excursionou para a Itália, Suíça, Peru e Argentina, e lançou seu primeiro CD em 2012. Atualmente se dedica ao estudo do clarone (clarinete baixo) desenvolvendo um repertório de músicas solo escrita para esse instrumento. Sua estreia foi em novembro de 2015 no II Encontro Brasileiro de Claronistas executando três obras, dentre elas a estreia mundial de “Linha Interiror” de Silvio Ferraz. Já estão confirmados concertos no Rio de Janeiro, Curitiba e no Festival de Clarinetes em Neuquen na Patagonia.

Outro projeto em andamento é a gravação de um CD com clássicos do choro executados no Clarone, projeto inédito e traz esse instrumento como protagonista neste gênero brasileiro.

Assistente de direção: Gabriel Schwartz

 

Integrantes

Flauta Transversal e Piccolo

Sebastião Interlandi Júnior

Flauta Transversal

Clayton Rodrigues

Clarinete

Jacson Vieira, Otávio Augusto

Clarinete Baixo

Sérgio Albach

Sax Alto e Clarinete

Victor Gabriel

Sax Tenor e Flauta Transversal

Gabriel Schwartz

Sax Soprano, Tenor e Barítono

Sérgio Freire

Trompete e Flugel

Douglas Chiullo, Ozéias Veiga

Trombone

Rodrigo Vicaria

Trombone Baixo

Guilherme Efrom

Piano

Davi Sartori

Guitarra

Mário Conde

Vibrafone e Percussão

Aglaê Frigeri

Contrabaixo Acústico

Carlos Ribeiro Júnior

Produção

Bete Carlos
ecarlos@fcc.curitiba.pr.gov.br

3321-2855

 


PATROCINADORES